segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

JABUTI PIRANGA

Comentário do teólogo Valdemir Mota de Menezes:
Devemos incentivar a criação em cativeiro e reprodução de outras espécies de animais além dos animais de estimação mais comum, que são os cães e gatos. Os jabutis não dão trabalho, são resistentes, requerer poucos cuidados, além de ser uma Obra-Prima da criação de Deus. Costumo dizer que os Jabutis tem cabeça de cobra, corpo de pedra, patas dianteiras como nadadeiras e patas traseiras como patas de elefantes. No Jabuti há muita beleza para quem sabe apreciar as obras de arte do Criador. Parabéns Deus, pelos jabutis que fizeste para encher nossos olhos com a beleza da criação.!!!!



---------------------------------
O Jabuti Piranga ou chelonoidis carbonaria cujo nome em Tupi-Guarani significa "O que come pouco vermelho", é um quelônio terrestre que possui escamas avermelhadas na cabeça e nas patas, as quais deram origem ao seu nome piranga e em inglês Red-footed Tortoise ( Tartaruga de pé vermelho ). Esta espécie é muito parcida com o Jabuti Tinga ( chelonoidis denticulata ) o qual possuí coloração amarelada das escamas das patas e da cabeça, nariz preto, coloração mais clara e maior porte. Pois o jabuti piranga comum atinge cerca de 18 kg.



A diferença entre as duas espécies não é tão fácil quanto parece, pois existem diversas variações de cores e tamanhos nessas espécies, para uma análise mais precisa é necessário uma observação de certo detalhes que são caracteísticas unicas de cada espécie:
Jabuti piranga Jabuti tinga


Escudo gular curto da porção posterior da carapaça. Sutura mediana femoral geralmente mais longa que sutura mediana umeral. Inguinal bastante significante. Pré-frontais pequenas e partidas. Escudo gular curto da porção posterior da carapaça. Sutura mediana umeral geralmente mais longa que sutura mediana femoral. Inguinal bastante insignificante. Pré-frontais alongadas.
Escamas pré frontais




Carapaças

Escudos inguinais

Escudos gular

Jabuti piranga fêmea e Jabuti tinga macho

Observa-se que a carapaça dos pirangas possuí laterais paralelas e o macho de tinga um formato de sino.

Os jabutis piranga habitam as regiões Nordeste, Centro-oeste, Sudeste e Sul como também em menor ocorrência em outros países sul americanos, onde vivem em ambientes de florestas, campos e caatingas podendo podendo atingir cerca de 100 anos.
Existe uma grande variação de cor na espécie chelonoidis carbonaria ou Jabuti piranga e dentre elas destacam-se:
O Jabuti piranga amarelo cuja escamas da cabeça e das patas são amareladas, essa variação atinge maior porte, cerca de 40 kilos e habita o norte da região sudeste e o sul da região Nordeste do Brasil.







O Jabuti piranga branco que possuí uma coloração de carapaça bem clara, hipomelânica, com escamas vermelhas, laranjas ou amarelas nas patas e na cabeça. São resultados de seleções de animais claros com a intenção de produzir uma variação de coloração mais clara e de acidentes naturais que produziram animais claros por puro acaso.





O Jabuti piranga de Granada é uma raça menor de Jabuti piranga que se desenvolveu na ilha de Granada. Por serem menores quando adultos, apresentam cores mais contrastantes e vivas que os jabutis piranga comuns.As fotos são de um exemplar de 9 semanas de idade e a ultima foto é de um exemplar de 2 anos de idade dos mesmos pais.

O Jabuti piranga cabeça de cereja é uma variação muito bonita e um pouco menor de jabuti piranga clássico. Sua cabeça e as escamas das patas são vermelhas ou laranjas. Alguns nascem com carapaças claras com contornos escuros. É encontrado em áreas limitadas, principalmente nos Chacos Paraguaios e no Mato Grosso do Sul.

O Jabuti piranga de cabeça amarela e pés vermelhos.

O jabuti piranga vermelho que possuí alta coloração avermelhada é uma linda variação de cor resultante de várias gerações de cruzamentos de exemplares com cores vermelhas que se destacavam ao longo de vários anos.

O Jabuti piranga híbrido com Jabuti tinga, é o intercruzamento entre as duas espécies de tartarugas terrestres brasileiras, gerando um animal híbrido que possuí grande possibilidade de ser estéril, ou seja, de não conseguir se reproduzir mais. A coloração desses animais híbridos possuem aspectos das duas espécies, propocionando uma beleza exótica.

O Jabuti piranga preto é resultado de uma alta concentração de pigmentos na pele. A segunda foto mostra um jabuti preto que nasceu de um casal de pais de cores normais, sugerindo que essa coloração escura tem origem em uma anomalia genética chamada hipermelanismo que nunca havia ocorrido no histórico familiar do casal. A pele e a carapaça apresentam cores cinza escuro e preto, o plastrão apresenta coloração alaranjada, na 3 e 4 foto podemos verificar a comparação de cor entre um jabuti comum e um preto, porém seus habitos são idênticos ao jabutis pirangas comuns.

O Jabuti piranga de carapaça cinza, possuí uma coloração cinza-azulada clara substituindo o preto, é uma bela coloração atingida com padrões claros de laranja e vermelho durante várias gerações.

O Jabuti piranga mel possuí uma coloração que foi atingida com várias gerações de intercruzamentos de jabutis que apresentassem coloração dourada e alaranjada, vizando esta belíssima coloração.

O Jabuti piranga albino é gerado pelo gen recessivo do albinismo, o qual proporciona uma total ausência de pigmentos na pele e uma coloração única, totalmente branca. Porém esse fenômeno prejudica o desenvolvimento do animal, pois torna-o hipersensível aos raios solares, sendo necessário cuidados especiais para o seu mantenimento. Por ser o albinismo gerado por um gen recessivo, todos os descendentes de um casal albino serão também albinos.





A carapaça dos jabutis é uma estrutura óssea formada pelas vértebras do tórax e pelas costelas revestidas com placas córneas que funcionam como uma caixa protetora onde o animal se recolhe quando é perturbado.
Os Jabutis Piranga são onívoros e alimentam-se de vários tipos de folhas, flores, frutos, verduras e de proteína animal como pequenos vertebrados, minhocas, insetos e carne em menor frequencia ( quando em cativeiro uma vez por semana e com a mesma frequencia é necessário a inclusão no cardápio de suplementos alimentares principalmente cálcio ).







Rações bem desenvolvidas, especialmente para Jabutis e de marcas confiáveis, são altamente recomendadas, pois possuem um mix completo de nutrientes, proporcionando um bom crescimento ao animal. A palavra chave na alimentação de jabutis é "diversificação", onde para animais adultos recomenda-se:
- 85% da dieta deve se basear em vegetais, como: folhas de mostarda, folhas de beterraba, agrião, couve, rúcula, salsa, salsão, brócolis, alface, espinafre, repolho, amora, cenoura, pétalas de rosas, folhas e pétalas de hibiscos, sementes de feijão branco e feijão verde, ervilhas, lentilhas, milho, legumes variados, como a cenoura, beterraba, vagens, abóboras, batata doce, etc. Cada animal deve apresentar preferência por determinados alimentos, porém deve-se sempre variar para garantir uma boa alimentação, deve se ter cuidado com a alface, pois pode causar diarréia.
-10% da dieta deve ser a base de frutas, como: uva, abacate, maçã, pêra, abacaxi, morango, manga, mamão, melão, banana, tomate, figo, melancia, amora, nectarina, pêssego, etc. Frutas são alimentos compostos de bastante vitaminas e açucares, sendo essencial para uma boa alimentação, porém deve-se evitar excesso de algumas frutas como o mamão, pois pode provocar problemas intestinais e o abacate que é muto gorduroso, sendo novamente importante a variação das frutas oferecidas.
-5% da dieta deve ser composta de proteína animal, como: ração para tartarugas, suplementos alimentares, carne moída crua, ração de cachorro, ração de gato ( em pequenas quantidades ), ovos cozidos com casca, insetos ( tenébrios monitores, minhocas...), etc. Apesar de apresentar a menor porcentagem na dieta alimentar recomendada, esse é um dos itens mais importantes, em filhotes a falta desses itens podem causar má formação do esqueleto, que por conseqüência, má formação do casco e como resultado, dores para o resto da vida do animal, problemas de locomoção, entre outros.





Os machos de Jabuti Piranga são em geral maiores que as fêmeas e a partir dos quatro anos de idade já podem ser diferenciados das fêmeas, onde o plastrão ( parte inferior do casco ) é côncavo ( voltado para dentro ) e nas fêmeas é plano ou bem pouco convexo. Em idades inferiores aos 4 anos de idade, os machos ainda não apresentam a concavidade, sendo comumente confundidos com fêmeas.

Fêmea Macho




A reprodução dos jabutis piranga ocorre na primavera e a partir dos 6 anos de idade, quando os machos começam a brigar entre si para acasalar com as fêmeas. Nessas brigas os machos batem seus cascos uns contra os outros e dão mordidas, porém dificilmente essas lutas causam lesões graves. Os machos são territorialistas e costumam brigar sempre que algum outro invade seu território. O macho vencedor ganha o direito de acasalar-se com as fêmeas, durante este processo o macho normalmente vocaliza sons característicos, porém nem sempre as fêmeas aceitam o macho vencedor, sendo então aconselhável mater sempre vários machos, para um grupo de fêmeas, aumentando assim as chances de acasalamento.
O macho sobe na fêmea (a concavidade de seu plastrão ajuda no equilíbrio) e ele introduz seu pênis (que fica guardado em sua cauda) na cloaca dela. Nesse processo demorado pode ocorrer de o casal caminhar encaixado e como o pênis do macho está em contato com o solo, se o mesmo for abrasivo pode resultar em graves feridas.

A postura dos ovos ocorre geralmente na terra de Abril a Junho, onde a fêmea cava um buraco e cabeças vermelha e patas vermelhas põe de 1 a 6 ovos, enquanto o cabeça amarela e patas vermelhas põe de 10 a 15 ovos por vez e depois os enterra. Nesse período os machos devem ser separados para não perturbar as fêmeas. Quando os jabutis estão cavando o buraco e encontram dificuldade causada pela terra dura, urinam com intermitência para molhar e facilitar a cavação; o odor da urina atrai o macho e esse monta tentando cruzar, motivo de sua retirada antecipada. A terra úmida e muito sombreada causa podridão dos ovos. A terra deve ser frouxa e de preferência arenosa para facilitar a cavação. No momento da postura as fêmeas procuram camuflar o ninho, fazendo ninhos escondidos embaixo de plantas, folhas, capins. Passado o período da postura o local onde foi posto os ovos deve permanecer sem animais para não compactar o solo, o que dificultaria a saída dos filhotes. Após a postura deve-se verificar se não ficaram ovos para fora dos buracos e enterrá-los na mesma posição ( sem virá-los ) com 5 cm de terra arenosa caso necessário.

A incubação dura de 24 a 36 semanas ( 6 á 9 mesês ) e normalmente nascem de 5 a 7 jabutizinhos. Na natureza os ovos costumam ser atacados por cobras, lagartos e pequenos mamíferos e ao nascerem também continuam vulneráveis, pois a mãe não cuida de seus filhotes e quando novos seus cascos ainda não são duros e fortes o suficiente e sendo seus maiores predadores as raposas, teiús, cães e gatos selvagens, aves rapineiras e ratos, em cativeiro são geralmente atacados por cães, os quais dependendo do porte possuem força na mordida suficiente para quebrar carapaças.















As doenças mais comuns apresentadas são: no caso de temperaturas abaixo do ideal podem apresentar pneumonia, manifestada através de secreção nasal e pelo comportamento do animal ficar com a cabeça constantemente elevada. Podem apresentar desprendimento dos escudos córneos da carapaça (deixando exposto o osso) por excesso de umidade que acarreta infecções por fungos ou bactérias. A descalcificação e alteração do formato do casco é comum se mantidos sem iluminação correta. Podem sofrer corrosão do plastrão e conseqüente infecção se mantido em superfícies ásperas. Podem ocorrer também doenças como o prolápso do reto e do pênis (em machos) ou a retenção de ovos (nas fêmeas). Porém as principais doenças estão ligadas a alimentação inadequada que podem favorecer diarréias (excesso de mamão e alface), avitaminoses por oferecimento de alimentos inadequados (pode ocasionar inchaço do globo ocular e raquitismo) e descalcificação por falta de suplemento de cálcio (casco mole, tremedeiras e impossibilidade de deslocamento). Falta de vitamina A causa um mal comum aos Jabutis, olhos inchados e com secreção similar a uma conjuntivite, que pode ser Curada ministrando ao animal vitamina A, que pode ser encontrada nas cenouras ou em complexos vitamínicos. Os olhos devem ser limpos diariamente com água boricada e pomadas oftálmicas podem ser aplicadas ( como por exemplo uma chamada Epizan, é muito importante consultar um veterinário antes de aplicar qualquer medicamento aos seus animais ).

Dados do Quelônio:
Nome: Jabuti Piranga
Nome Científico: chelonoidis carbonaria
Época: Holoceno
Local onde Vive: América do Sul
Peso: Cerca de 18 quilos
Tamanho: 50 centímetros de comprimento
Alimentação: Onívora




Classificação Zoológica
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Chelonia
Subordem: Cryptodira
Família: Testudinidae
Gênero: chelonoidis



Fonte:
http://www.tartarugas.avph.com.br/jabutipiranga.htm

Um comentário:

  1. Olá! Cometeu um equívoco. "Jabuti piranga fêmea e Jabuti tinga macho...


    Na verdade trata-se de um casal de Jabutis da espécie Tinga,a coloração vermelhada nas patas do macho deve-se a cruzamento de espécies após geracões..

    ResponderExcluir